Home NEWS Private Equity Geneseas e DellMare anunciam fusão

Por Luiz Henrique Mendes

De olho na consolidação do pulverizado segmento de pescados no Brasil, o fundo de private equity Aqua Capital anuncia hoje a fusão da Geneseas, uma das maiores processadoras de tilápias do país, e da distribuidora de camarões DellMare.

Da união das duas companhias, surge uma 'nova' Geneseas, com faturamento de aproximadamente R$ 250 milhões em 2017. O objetivo do fundo é que, ao longo de cinco anos, o negócio de pescados atinja uma receita de R$ 1 bilhão.

A empresa resultante da fusão continuará a ser controlada pelo Aqua Capital, disse ao Valor o CEO da Geneseas, Breno Davis. "O Aqua continua com mais de 50% do capital da Geneseas, mas será um pouco diluído", afirmou o executivo. Ele não quis revelar o valor envolvido na transação.

Fundador da cearense DellMare, Fabrício Ribeiro será acionista minoritário da Geneseas e também fará parte do quadro de executivos da empresa, no comando do relacionamento com grandes clientes.

De acordo com Davis, a Geneseas e a DellMare são complementares.

Enquanto a primeira atende sobretudo o food service - restaurantes -, a segunda é mais forte no varejo. Além do carro-chefe das duas companhias, tilápia e camarão, respectivamente, ambas também distribuem outros tipos de pescados, tais como salmão e lula.

Na DellMare, o foco da operação não é a produção própria em cativeiro, mas a distribuição. Conforme Davis, a companhia origina 3 mil toneladas do crustáceo por ano, sobretudo no Estados do Ceará e do Rio Grande do Norte.

O processamento do camarão é feito por uma empresa terceirizada em Aracati (CE).

Criada em 2001, a Geneseas tem uma unidade de processamento de tilápias em Aparecida do Taboado (MS), na divisa com o Estado de São Paulo. Na região, especificamente no reservatório da hidrelétrica de Ilha Solteira, a empresa tem quatro fazendas para a criação de tilápia em cativeiro.

Atualmente, a Geneseas produz 12 mil toneladas de tilápia por ano, o equivalente a 5% da produção nacional. Em 2015, a produção brasileira totalizou 219,3 mil toneladas do peixe, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Carro-chefe da aquicultura nacional, a tilápia deve liderar - ao lado dos peixes amazônicos - o crescimento da produção de pescados no país, conforme o Rabobank.

"O mar está para peixe. A tilápia tem um potencial fantástico", afirmou Davis.

De acordo com o executivo, o Estado de São Paulo deu início em outubro a um movimento que poderá equacionar aquele que talvez seja o maior entrave da aquicultura. Ao simplificar o processo de licenciamento ambiental para a produção em reservatórios de hidrelétricas, São Paulo pode servir de exemplo para o restante do país. "Enxergamos que diversos outros Estados podem fazer esse movimento".

Além da Geneseas, o Aqua Capital controla ainda a rede de distribuição de insumos agrícolas Rural Brasil, as empresas de fertilizantes Aminoagro e Dimicom, a varejista de vinhos Gran Cru e a companhia de aditivos para ração animal Yes.

Fonte: Valor Econômico